Esquadrão da Morte

Era enfiá-los todos no Campo Pequeno!

terça-feira, outubro 17, 2006

Memorando da Gerência

É certo e sabido que o povo português não sabe rir. Tem medo de explorar o humor com receio de afectar instituições tão venerandas como a igreja, a família e os bons e fieis valores tradicionais.
É certo e sabido que o povo português não tem poder de encaixe. Se dissemos que não gostamos de algo, e pessoa que gosta dessa mesma coisa ouve-nos a proferir tal afirmação, acusa-nos logo de não saber respeitar os gostos dos outros, que se é intolerante e o diabo a quatro.
É certo e sabido que os que assumem o protagonismo mediático em Portugal não são as pessoas mais indicadas para uma população que, no geral, ainda tem um défice cultural muito grande, sendo tão ou mais fraquitas que o público que os venera.

Foi por estas e por outras que decidimos fazer o Esquadrão da Morte. Porque queríamos fazer rir com umas certas figurinhas controversas (ou dignas de controvérsia) que rodeiam a nossa praça. Se os textos têm piada ou não, pois cabe aos seus leitores assim o acharem. Nós somos sempre bem-intencionados, isso é garantido.
Já agora a alusão ao Campo Pequeno, que alguém achou de mau gosto, comparando tal à opressão liderada por Pinochet no Chile dos anos 70, não tem problema alguma. Alguém matou alguém no Campo Pequeno? Ninguém que eu saiba. Se formos a ver o contexto em que a afirmação original foi produzida, 30 anos depois só nos faz é soltar um sorriso de carinho. Porque convenhamos: alguém realmente acha que o Otelo, esse homem com a maior percentagem de “pá’s” por decibel quadrado em Portugal, teria a coragem de proceder a fuzilamentos colectivos? Se assim o acham meus caros, então deixem crescer o cabelo, porque a cabeça rapada não assenta a todos e o Amílcar Cabral tem 1000 vezes mais razão que o Hitler (em qualquer assunto que seja).
Quanto às alusões de cariz laboral e sexual: Como se pode ver pela frequência de posts (e sendo nós uma equipa de 4 elementos!), (in)felizmente trabalho não nos falta e os computadores foram comprados sem a ajuda de qualquer “paitrocínio”, enquanto no capítulo sexual, a nossa actividade actual faz com que não sejamos capazes de escrever comentários comos os presentes nas caixas deste blog (que são bastante indiciadores de uma grande “fome” insaciada).

Mas não se preocupem que não vão parar ao Estádio do Algarve. O espaço está reservado para pelintras que se destaquem e vocês têm um nível um pouco banalizado.

O Supra-Comandante Marcos


Eu pela minha parte congratulo-me.
Fico feliz.
Agradeço, mesmo.
Caro bandalho, é com felicidade que vejo que és capaz de coisas inimagináveis. Conseguiste fazer-nos todos escrever, quase como se levássemos este blog tão a sério como tu.
Dado o teu amor por este nosso estaminé (que te leva até a assinar com vários nomes diferentes, apesar de te denunciares porque não pode haver tanta gente que goste de levar no cú a vir ao blog num espaço tão curto), tenho que te perguntar duas coisas:
1ª Queres o registo para ti?
2ª Queres participar? Alguém com tanta raiva descontrolada, e com tanto prazer para falar mal é bem vindo para apimentar um pouco este nosso cantinho.
Não conheces a génese deste blog.
Também não conheces quem o escreve.
Vendo bem, isso não me admira porque pelos comentários não é a única coisa que não conheces.
Assim sendo, deixa-me que te diga honestamente, e com boa vontade no coração: cala-te, ou então espera uns aninhos. Vais ver que quando fores adulto o mundo fica diferente, o teu olhar abrange mais coisas além do teu umbigo.
Toma um grande abraço, e, sendo essas as tuas opções, pede ao teu parceiro que não se esqueça do preservativo.
Fica bem, mas afasta-te do Estádio do Algarve. Não se sabe se não nos encontrarás.

Gallego, El Sucio


Caro leitor
A única coisa que eu gostaria de fazer neste breve comunicado oficial consiste em congratulá-lo, uma vez que é a única pessoa que presta atenção a este blog.
Por vezes, nem nós, os autores, nos lembramos que este espaço cibernético existe.
Graças a si, distinto amigo, o blog ganhou uma nova vida. Obrigado.
Contudo, tenho uma sugestão para si: talvez queira considerar a hipótese de ir trabalhar, para ocupar as horas mortas. Que tal? Talvez assim não fizesse uma figura assim tão grande de ressabiado.

Adeus, até nunca mais.

Sanguinário sem Nome



Que orgulho! Que inaudita alegria acompanha a aurora de mais um dia! Que magníficas trompas de anjos nos são dadas a ouvir, emanando do fruto dos nossos (baixos) ventres! Conseguimos – it’s alive!!! Criámos um monstro, aliás, VÁRIOS monstros! E não é que eles não só respiram como também falam! E que lindos, têm todos a mesma tromba! Finalmente vamos poder gozar as merecidas férias que nos eram devidas, basta deixar os nossos queridos benjamins, nascidos de tanto amor, a tomarem conta da casa, de certeza que têm muitas linhas para preencher de coisas bonitas! Estejam à vontade. Estiquem as bordas da vossa ira até ficarem em carne viva. Têm um estádio inteiro para encher com bloggers, políticos, dirigentes desportivos, entidades religiosas, vendedores de time sharing, arrumadores de carros, pachecos pereiras, e a humanidade em geral. Aproveitem a oportunidade que vos é oferecida - deficiente também é gente!
E agora com licença, vou para a “Conã” da minha tia mais velha, ela já está à minha espera há vários meses mas tenho andado muito ocupado na casa de banho a fazer força para produzir uns quantos subalternos para operações de manutenção estival. Fui.


Conã, o Velho.

quinta-feira, setembro 14, 2006

Epa.
Quem é o "carrasco do sul"?
Tenho medoooooooo!!!

O Sanguinário sem Nome

Mais uns

Olha, isto parece telepatia.
(Ao tempo que eu não vinha cá!... Logo quando decido escrever um post, vejo que alguém já se antecipou a mim.Bravo, camarada!)
Acontece que hoje de manhã antes de tratar dos afazeres "trabalhísticos", ouvi umas vozes estridentes, algo parecidas com cacarejos, vindas do televisor. Fui até à sala e verifiquei com entusiasmo que os próximos alvos a abater poderão ser os elementos que constituem a tertúlia cor de rosa, aquela rubrica do "Fátima".

O Sanguinário Sem Nome

Este é outro (II)



Porque é filho do anterior, e nós acreditamos nos malefícios da herança genética.

O Supra-Comandante Marcos

segunda-feira, setembro 04, 2006

Este é outro



Como diz o velho adágio, uma imagem vale mais que mil palavras.

Gallego, el Sucio

quarta-feira, agosto 30, 2006

Novo cadafalso



 

Como já foi dito há algum tempo atrás, ficaram-nos com o Campo Pequeno, palco da execução das nossas deliberações iluminadas que visam polir a face da sociedade portuguesa. O que nos deixava como uma espécie de sem-abrigos da justiça.

Mas não desesperem. 

Graças à megalomania guterrista, temos casa nova! E para deixarem de chamar "elefante branco" ao Estádio do Algarve, resolvemos passar a ocupá-lo como novo patíbulo da nossa ilustre causa.
Alguma sugestão para primeira figura a estrear as instalações?

O Supra-Comandante Marcos

quarta-feira, junho 14, 2006

Bem, regressei

Hoje a queixa é muito simples, e é sobre algo que todos já devem ter notado.
A TVI está a destruir o futebol nacional.
Primeiro foi a Taça em 99/99. Fizeram aquela música horrorosa ("Futebol estectáculo é na TVI!") para festejar os direitos de transmissão da final, e nesse ano calhou a sorte ao Beira-Mar e ao Campomaiorense, que entretanto desapareceu.
A seguir, uns anos depois, conseguiram os direitos do Campeonato, e foi a merda que se viu. O Benfica ganhou (mas nem é por aí), com menos pontos dos que conseguiu este ano, em que ficou em terceiro. Resumindo, foi uma merda de um campeonato.
Depois, anunciaram com pompa a transmissão dos jogos do Europeu de Sub-21, já este ano. Nem é preciso falar sobre isso, pois não?
Bem, é matar a TVI, e alguns dos que lá trabalham. Não todos, alguns, ao vosso critério.
Com raiva no coração me despeço,

Gallego el Sucio

sexta-feira, maio 26, 2006

Uma dúvida pertinente

A quebra de actividade na nossa produção poderá implicar nas vossas mentes, que já teríamos seleccionado todos os intervenientes da "vida pública" portuguesa que mereceriam elevadíssimos castigos corporais aplicados nessa arena da Fiesta Cobarde (porque de Brava não tem nada).

Pois aí é que está. A grande gaitada deste vosso blog messiânico reside no facto de nos terem ocupado o nosso oteliano cadafalso. Sim, só por isso, porque ainda não falamos de "intocáveis" como Pedro Granger, Margarida Rebelo Pinto, Manuel Maria Carrilho, Roberto Leal e afins. Ou seja, é uma problemática imobiliária que nos impede de continuar com a nossa actividade normal.


Quem tiver sugestões para novos cadafalsos, é só escrever na caixa de comentários. A gerência agradece.


O Supra-Comandante Marcos

domingo, abril 09, 2006

Queremos o fim de uma organização tenebrosa!



O senhor em cima chamava-se Robert Baden Powell. É o gajo responsável pela criação dos grupos de jovens mais abichanados (lesbianizantes no caso feminino) de 1907 até aos dias de hoje, os escuteiros! E só de olhar para o retrato do gajo, já podemos ficar com uma ideia: note-se a pose de líder totalitário com uma forte inclinação para comer criancinahs ao pequeno-almoço. Não é admirar que se lembrasse de criar um agrupamento de rapazes adolescentes e mandá-los dormir no campo (quem viu o Brokeback Mountain, sabe do que estou a falar...). Para ajudar a vossa imaginação, digo-vos que este senhor repudiava a masturbação. Ora se os desgraçados dos adolescentes andavam com as hormonas aos saltos e tinham de libertar a sua "energia", entra outra vez aqui o exemplo "Brokeback"... Aliás, Baden-Powell era tão cioso dos mais novos, que se casou com uma mulher 35 anos mais nova que ele (e que não era nada de especial, o que vem adiantar a tese de casamento para as aparencias).


Depois, os escuteiros são obrigados a vestirem-se como criancinhas ao longo de toda a sua vida. O que é aquele lenço ao pescoço senão uma alusão às golas de marinheiro, esse grupo que passa muitas temporadas em alto mar?... E nem só. Mas quem é que vai de calções para o mato, onde não faltam arbustos cheios de espinhos, urtigas e afins, que de certo não são as coisas mais confortáveis para roçar pelas pernas? E qual é o grau de camuflagem de uma camisa castanho-claro? Poderá parecer mal dizer isto, mas até a Mocidade Portuguesa pensou nste ponto!!!! E para quê as meias altas, se assim por assim as pernas vão roçar nas ervas, rochas e que tais?
Meus amigos, o trajo escuta serve só para os superiores hierárquicos fantasiarem com os seus subalternos.

Temos também aquela saudação irritante com a mão. Chiça, não bastava arranjarem uma Bíblia, proemlhe a mão em cima e debitar o blá blá habitual? Não... TINHAM que fazer aquela cena com os três dedos do meio espetados! O grande problema reside no facto dos criadores do Star Trek terem adaptado uma coisa parecida, mas ainda mais irritante. E assim, quando não apanhamos um puto escuta a dizer que se porta bem a fazer aquela juramento, temos outros que vêem séries de ficção científica de merda e fazem as coisas mais estranhas com as mãos.

Outra é o facto de já não bastar eles andarem sempre em formaturas, juramentos de bandeira e outras palhaçadas que tais, como ainda andam na rua a cravar dinheiro!!! E aqui reside a injustiça da coisa. A um agarrado que arruma carros, a malta não curte dar dinheiro, habilitando-se a que ele faça coisas más ao carro ou vá começar a assaltar casa e outras ideias do género. O escuteiro não precisa do dinheiro para nada e no entanto lá veste o fatinho de marinheiro seco e anda pelas ruas em peditórios.

Aqui entra outra coisa gira. Para que é que eles andam a cravar dinheiro, se uma das instituições que mais os apoia é a Igreja? Não me digam que não lavam dinheiro suficiente para que sobre algum para aquelas criancinhas? Logo os padres que adoram criancinhas em formatura! Contrasensos...

É caso para dizer: Bem-aventurados aqueles que não são escuteiros, pois mantêm um andar normal...

Para corroborar o que tenho vindo a dizer fica uma foto de dois membros da seita, depois de uns quantos tempos dentro do seio escuta (seio, mas não mamário, porque eles não acreditam nessas coisas...)



Ora vejam lá se estes moços não seriam estrelas no Frágil?

Para evitar mais destas, é mandar os chefes todos para o Campo Pequeno. Que é para se fazerem homens...

O Supra-Comandante Marcos